Foto: Divulgação

Neste ano de 2020, fomos surpreendidos com a pandemia do COVID-19 e, em função das medidas de isolamento social que foram adotadas e da consequente crise econômica que atingiu várias empresas, muitas pessoas perderam os seus empregos. Segundo dados do IBGE a taxa de desocupação no país atingiu 14,3% na quarta semana de agosto, um aumento de 1,1 ponto percentual comparado com a semana anterior (13,2%), alcançando, assim, o maior patamar da série histórica da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Covid-19, iniciada no mês de maio.

Diante desse cenário, muitas pessoas com deficiência intelectual que tinham conseguido conquistar sua colocação no mercado de trabalho foram demitidas e passaram a fazer parte do contingente de pessoas desempregadas no Brasil.

Todavia, ao longo de todo o período da pandemia, a Associação Pestalozzi de Osasco continuou com seu trabalho de inclusão social e profissional de pessoas com deficiência intelectual, com vistas a garantir o seu direito ao trabalho e à renda.

E assim, graças à uma parceria entre a Associação Pestalozzi de Osasco e o Portal do Trabalhador, da Secretaria de Emprego, Trabalho e Renda, os irmãos Jonatas (27 anos) e Helen (25 anos), ambos com deficiência intelectual, conseguiram a sua realocação profissional em meio à pandemia.

No último mês de julho, Jonatas foi contratado para trabalhar em uma rede de supermercados como empacotador e, em outubro, Helen foi contratada para trabalhar em uma grande rede de hambúrgueres, como ajudante de cozinha.

Jonatas e Helen, assim como outros jovens com deficiência intelectual atendidos pela Associação Pestalozzi de Osasco, participaram do Programa de Aprendizagem da instituição. Jonatas estava incluído no mercado de trabalho desde 2010, e recente havia perdido o emprego. Helen, por sua vez, concluiu o curso de aprendizagem em 2019 e estava em busca de uma nova oportunidade de emprego.

Desejamos sucesso nesta nova jornada profissional para Jonatas e Hellen!